Digital clock

Ovos de Páscoa.


Ovos de Páscoa: faça escolhas inteligentes para não sabotar a dieta

amargo está na lista das melhores opções

Por Renata Demôro
Você ouviu dizer que chocolate faz bem para a saúde do coração, leu sobre uma pesquisa que recomenda comer um pouquinho do doce todo diae resolveu se dar de presente um ovo de Páscoa? Saiba que até na hora de escolher o chocolate é possível optar pelos menos calóricos – e que concentram os benefícios para a saúde. 
  • 1
    Ovo de chocolate amargo
    Para a nutricionista e personal diet Karla Oliveira, este é a versão mais amiga da dieta e da saúde. “O chocolate amargo contém menos açúcar e mais massa de cacau (cerca de 60%), além de não apresentar quantidades consideráveis de manteiga de cacau. É nele que estão concentradas as propriedades funcionais do chocolate, responsáveis por prevenir o câncer, doenças cardiovasculares e fortalecer o sistema imunológico. Em 100g, o chocolate amargo contém 410 calorias”, explica a personal diet.
  • 2
    Ovo de chocolate diet
    Viu um ovo de Páscoa diet e teve certeza que ele era a solução para a sua dieta? Saiba que você precisa moderar, já que também é rico em calorias. “Apesar de não conter açúcar, o chocolate diet tem mais gordura do que a versão tradicional. Em 100g são 440 calorias a mais”, diz a nutróloga Liliane Oppermann
  • 3
    Ovos com amêndoas, castanhas ou nozes
    Eles estão no topo da lista dos mais calóricos, mas podem fazer bem à saúde. De acordo com Liliane Oppermann, “estes ovos acumulam 520 calorias em 100g, mas castanhas, amêndoas e nozes são ricas em antioxidantes“. Para obter os benefícios para a saúde sem comprometer a dieta, a médica recomenda consumir cerca de 30 g por dia.
  • 4
    Ovos de chocolate aerado
    Os ovos recheados com chocolate aerado (contêm inúmeros furinhos no interior) também são considerados calóricos: “Em 100 g destes ovos concentram 500 calorias”. Se não quiser ganhar um quilos de presente de Páscoa é melhor evitar exageros.
  • 5
    Ovo de chocolate branco
    Você quer obter benefícios para a saúde comendo chocolate? Então fuja da versão branca. De acordo com a nutricionista e personal diet Karla Oliveira, “o chocolate preto é fabricado com massa de cacau, rica em antioxidantes. Já o chocolate branco é composto por manteiga de cacau, rica em gordura saturada”. A massa de cacau é produzida a partir das sementes, que concentram os flavonoides benéficos ao organismo. 

Sobremesas - Sorvete caseiro


Sorvete caseiro de iogurte com frutas vermelhas

Rende: 6 porções
Ingredientes
2 ¼ de xic. (chá) de frutas vermelhas (morango, framboesa, amora e mirtilo)
½ xic. (chá) de mel
1 iogurte natural integral (500 g)
Frutas vermelhas frescas para decorar
Folhas de hortelã para decorar
Modo de fazer
Bata as frutas em um processador até obter uma pasta uniforme. Adicione o mel e o iogurte e misture. Coloque em um recipiente com tampa e leve ao congelador por pelo menos duas horas. Retire do congelador alguns minutos antes de servir e decore com as frutas frescas e folhas de hortelã.

Sobremesa que emagrece.


Sanduíche de biscoito geladinho


Ingredientes

16 biscoitos tipo cookies de chocolate
1 pote de sorvete (500 g) de creme ou de baunilha

Modo de fazer

Deixe o sorvete fora do freezer por cerca de 10 minutos, até que fique maleável. Coloque meia bola de sorvete entre dois biscoitos e aperte ligeiramente. Repita a operação com os biscoitos restantes e coloque em um prato no freezer.

Sorvete caseiro de iogurte com frutas vermelhas



Rende: 6 porções
Ingredientes
2 ¼ de xic. (chá) de frutas vermelhas (morango, framboesa, amora e mirtilo)
½ xic. (chá) de mel
1 iogurte natural integral (500 g)
Frutas vermelhas frescas para decorar
Folhas de hortelã para decorar
Modo de fazer
Bata as frutas em um processador até obter uma pasta uniforme. Adicione o mel e o iogurte e misture. Coloque em um recipiente com tampa e leve ao congelador por pelo menos duas horas. Retire do congelador alguns minutos antes de servir e decore com as frutas frescas e folhas de hortelã.

ABC da Alimentação Saudável.


ABC da Alimentação Saudável

Uma alimentação, quando adequada e variada, previne deficiências nutricionais, e protege contra doenças infecciosas, porque é rica em nutrientes que podem melhorar as defesas do organismo. Nutrientes são compostos químicos encontrados nos alimentos que têm funções específicas, funcionam associadamente, e se dividem em:

  Macronutrientes:  carboidratos, proteínas e lipídeos;
  Micronutrientes:  vitaminas e sais minerais.
Carboidratos
De uma forma geral, todos os grupos de alimentos exceto as carnes, os óleos, as gorduras e o sal, possuem carboidratos. Estes podem ser:
Simples: como os açúcares e o mel: Os açúcares simples não são necessários ao organismo humano, pois apesar de ser fonte de energia, esta pode ser adquirida por meio dos carboidratos complexos. Sendo assim, é importante diminuir as quantidades de açúcares simples adicionados aos alimentos.
Complexos: presentes principalmente nos cereais (arroz, pão, milho), tubérculos (batata, beterraba) e raízes (mandioca, inhame), os quais representam a mais importante fonte de energia e, por esta razão, recomenda-se o consumo de seis porções diárias desse tipo de alimento, o que representa em torno de 60% do total de calorias ingeridas.
Fibras
Uma alimentação saudável deve incluir os carboidratos complexos e fibras alimentares em maior quantidade do que os carboidratos simples. Na sua forma integral, a maioria dos alimentos vegetais como grãos, tubérculos e raízes, as frutas, verduras e legumes contêm fibras, as quais são benéficas para a função intestinal, reduzem o risco de doenças cardíacas, entre outros diversos benefícios.

A quantidade de fibras na alimentação é uma medida de uma alimentação saudável. As frutas, legumes e vegetais são ricos em vitaminas, minerais e fibras, necessitando-se consumir, diariamente, três porções de frutas e três porções de legumes e verduras. É importante variar o consumo desse tipo de alimento, tendo em vista que o consumo regular e variado, juntamente com alimentos ricos em carboidratos menos refinados (pães e arroz integrais), oferecem quantidade significante de vitaminas e minerais, aumentando a resistência a infecções. Além das vitaminas e minerais, as verduras e os legumes também contêm componentes bioativos, alguns dos quais especialmente importantes para a saúde humana, podendo reduzir o risco de doenças, inclusive as doenças cardíacas e o câncer.
Proteínas
Origem vegetal: leguminosas como feijão, soja, grão-de-bico, lentilha, são alimentos fundamentais para saúde, por serem um dos alimentos vegetais mais ricos em proteínas. Entretanto, estas proteínas são consideradas incompletas, ao contrário das proteínas de origem animal, necessitando então, de combinações de alimentos que completem entre si os aminoácidos, tornando-se combinações de alto valor protéico como, por exemplo, a combinação de duas partes de arroz para uma parte de feijão.

Origem animal: carnes, leite e derivados, aves, peixes e ovos são proteínas completas, ou seja, contêm todos os aminoácidos de que os seres humanos necessitam para o crescimento e manutenção do corpo. São também, entre outros nutrientes, importantes fontes de proteína de alto valor biológico sendo, assim, necessário o consumo diário de três porções de leites e derivados e de uma porção de carnes, peixes ou ovos. As carnes selecionadas para o consumo devem ser aquelas com menor quantidade de gordura (magras, sempre retirando as peles e gorduras visíveis), sendo consumidas moderadamente, devido ao alto teor de gorduras saturadas e colesterol.
Ferro e Cálcio
As carnes em geral, principalmente os miúdos e vísceras, possuem alta biodisponibilidade de ferro, ou seja, a quantidade de ferro ingerida que será efetivamente utilizada pelo organismo é significativamente grande. O leite e seus derivados, além de fonte de proteínas e vitaminas, são as principais fontes de cálcio da alimentação. Este nutriente é fundamental para a formação e manutenção óssea ao longo da vida, prevenindo futuras complicações como a osteoporose.
Gorduras
Lipídeos: As gorduras são de diferentes tipos, e podem ou não ser prejudiciais à saúde, dependendo do tipo de alimento. A gordura saturada está presente em alimentos de origem animal, e seu consumo deve ser moderado. As gorduras trans que são obtidas pelo processo de industrialização dos alimentos, a partir da hidrogenação de óleos vegetais, são prejudiciais à saúde. O consumo excessivo deste tipo de alimento pode acarretar doenças cardiovasculares, excesso de peso, obesidade, entre outras. As gorduras insaturadas, presentes nos óleos vegetais, não causam problemas de saúde, exceto se forem consumidas exageradamente. São fontes de ácidos graxos essenciais, ou seja, podem ser produzidos pelo organismo, sendo assim necessárias para a manutenção da saúde.

Colesterol: O colesterol é uma gordura que está presente apenas em alimentos de origem animal, e é componente estrutural de algumas partes do organismo humano, sendo ele capaz de sintetizar o suficiente para cobrir as necessidades metabólicas, não sendo indicado o consumo desse composto. O alto consumo deste pode acarretar doenças cardiovasculares.
Sal
O sal de cozinha - cloreto de sódio - utilizado como tempero e conservação de alimentos, contém sódio em sua composição, bem como outro tempero atualmente muito utilizado, o glutamato de sódio - este mineral quando consumido em excesso é prejudicial à saúde. Sendo assim, recomenda-se a redução no consumo de alimentos com alta concentração de sal, como temperos prontos, caldos concentrados, molhos prontos, salgadinhos, entre outros.
Água
A água é um nutriente indispensável ao funcionamento do organismo; a ingestão de, no mínimo, dois litros diariamente é altamente recomendada. Ela desempenha papel fundamental na regulação de muitas funções vitais do organismo, incluindo regulação da temperatura, transporte de nutrientes e eliminação de substâncias tóxicas. Recomenda-se a ingestão de 6 a 8 copos de água por dia.
Atividade Física
É muito importante a prática de exercícios físicos regularmente, aliada a uma alimentação saudável, o que previne o sobrepeso e a obesidade, além de trazer benefícios para saúde mental e emocional. As pessoas fisicamente ativas são profissionalmente mais produtivas, e desenvolvem maior resistência a doenças.
Para ter uma vida saudável, associe sempre uma alimentação equilibrada, com o consumo de água e a prática de atividades físicas regularmente. Assegurando, assim, o aumento da imunidade, o peso ideal e a prevenção de doenças. 

Sobremesa que emagrece

Bolo de chocolate orgânico na caneca com sorvete


Ingredientes
4 col. (sopa) de farinha de trigo integral
2 col. (sopa) de açúcar mascavo
2 col. (sopa) de achocolatado
1 ovo
3 col. (sopa) de leite integral
3 col. (sopa) de óleo de linhaça
Modo de fazer
Coloque a farinha, o açúcar e o achocolatado em uma caneca e misture bem. Adicione o ovo e com um garfo e bata muito bem. Adicione o leite e o óleo e misture. Leve para assar no micro-ondas, em potência máxima, por aproximadamente três minutos. Deixe esfriar e acrescente a calda.
Ingredientes da calda
2 col. (sopa) de leite integral
1 col. (chá) de manteiga com sal
1 col. (sopa) rasa de açúcar mascavo
3 col. (sopa) rasas de achocolatado
Modo de fazer
Misture bem todos os ingredientes e leve ao micro-ondas por 30 segundos. Espere esfriar e jogue na caneca sobre o bolo.

Gelatina é a sobremesa que previne doenças e emagrece



Lista de benefícios inclui fortalecimento dos ossos e aumento da saciedade

A gelatina é a sobremesa ideal para combater aquela vontade de comer doces que bate durante o dia. Ela é refrescante, de fácil preparação, custa baratinho e é uma potente aliada de quem quer dar adeus às gordurinhas. E o melhor de tudo: sua boa fama se estendo também no que diz respeito a prevenção e tratamento de doenças

Eleita a terceira sobremesa mais consumida pelos brasileiros, segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), a gelatina é composta praticamente de aminoácidos e proteínas. Dos dez que são indispensáveis para o nosso organismo, nove estão no produto. Por ser principal fonte de colágeno, auxilia no fortalecimento dos ossos e colabora na prevenção de doenças como a osteoporose e a artrose.
Gelatina ajuda a prevenir doenças
Quando consumida regularmente, a gelatina promove a redução dos níveis de colesterol no sangue, controla a glicemia, aumenta a resistência física, trava o processo de flacidez natural do envelhecimento e ainda atua como agente cicatrizante.

Inclua gelatina na dieta 
Para garantir esses benefícios, o ideal é ingerir 10 gramas diárias (uma colher de sopa) na forma de gelatina suplementar (encontradas em lojas de suplementos), diluída em meio copo de água ou adicionada em sucos, chás e leite. Já a gelatina alimentar (encontradas em supermercados) deve ser consumida, pelo menos, duas porções (dois potes de 125 ml cada) por dia. O produto é ideal para fazer ou acompanhar sobremesas como tortas, bolos, iogurtes e sorvetes. Interessante também é variar nos sabores que podem levar, inclusive, um colorido especial a mesa.

Saladas que emagrecem.


Saladas leves que emagrecem

Use verduras, legumes e molhos para compor um prato principal delicioso e comer menos alimentos calóricos

Karla Precioso
Conteúdo ANAMARIA
Basta equilibrar o sabor dos ingredientes
para criar uma salada saborosa
Foto: Dreamstime
Quando o assunto é alimentação saudável, a salada costuma ser a campeã dos cardápios. Isso porque as folhas e os legumes são ricos em carotenoides, que ajudam a prevenir o envelhecimento precoce. E tem mais: quem come salada tem uma digestão mais fácil e rápida, evitando aquela sensação de moleza que costuma surgir depois de uma refeição pesada.

O hábito de ingerir folhas traz outras vantagens ao organismo. É o que garante Renata Maria Padovani, do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “Começar a refeição pela salada intensifica o efeito dos alimentos, melhora a flora intestinal e, de quebra, faz você comer menos os pratos calóricos”, afirma a nutricionista.

Combinações magrinhas

- Cores
Quanto mais colorida for a salada, mais benefícios ela trará. Combine vários tipos de folhas, como alface, agrião, acelga, rúcula e almeirão. Enriqueça o prato com lentilha, feijão ou soja cozidos. Inclua também legumes: cenoura, batata, beterraba, berinjela e abobrinha. Para ousar, acrescente frutas, como abacaxi, maçã e manga.

- Temperos
Use azeite (mas com moderação!), vinagre balsâmico, suco de limão e molhos à base de iogurte, maionese light e mel. Abuse de ervas como coentro, manjericão, mostarda, hortelã e erva-doce.

- Refeição completa
Monte a salada com todos os nutrientes contidos numa refeição. Além das folhas, acrescente carboidratos, como batatas cozidas ou torradinhas. Inclua também uma porção de proteína - fatias de queijo branco ou tiras de peito de frango grelhadas.

Algumas curiosidades

- As verduras se deterioram rapidamente. Na hora de comprar, verifique se não há folhas queimadas ou amareladas. Pequenos furos podem indicar a presença de larvas e insetos.

- Os temperos estimulam as funções digestivas, geralmente lentas em pessoas com anemia e problemas nervosos.

- Bactérias conseguem se fixar facilmente nas folhas verdes, causando contaminação. Por isso, lave-as bem em água corrente. Depois, deixe-as de molho por 30 minutos em uma solução com ½ colher (sopa) de bicarbonato de sódio e 1 litro de água. Você também pode usar água sanitária: para 1 litro de água, 1 colher (sopa) do produto. Depois, lave em água corrente.

A comida que emagrece


A comida que emagrece




A ciência revela que vários nutrientes são capazes de estimular o corpo a evitar o ganho de peso. As descobertas estão modificando o cardápio de quem está de dieta e incentivam a indústria alimentícia a criar produtos que ajudam na luta contra a balança

Mônica Tarantino



CALORIAS A MENOS
A atriz Isa Zampieri, 25 anos, emagreceu 14 quilos em dois anos. Ela
passou a ingerir alimentos que obrigam o corpo a gastar mais energia
durante a digestão. “Todo dia uso uma colher de canela junto com frutas ou
sucos”, conta. Maçã também está no seu menu: ela aumenta a saciedade
Se você está procurando caminhos mais eficazes para perder peso, que tal inserir alguns alimentos no cardápio, em vez de apenas riscar do menu as opções que engordam? Se a sugestão assustou, relaxe. Na verdade, trata-se de uma das mais modernas e espertas estratégias traçadas pela ciência para ajudar quem deseja emagrecer: usar a nosso favor o poder de determinados alimentos para nutrir e ao mesmo tempo evitar o acúmulo de peso. É a comida que emagrece. A descoberta de que, sim, ela existe foi uma das mais importantes informações obtidas nos últimos anos pelos estudiosos que se dedicam a investigar saídas contra a obesidade. “Chegamos à conclusão de que o caminho para acumular menos calorias não é simplesmente cortá-las”, disse à ISTOÉ Darius Mozaffarian, da Universidade de Harvard (EUA). “Hoje sabemos que ingerir mais de diversos tipos de alimentos está associado à perda de peso”, completou.

O que o pesquisador americano está afirmando aqui não se refere à velha máxima de que se deve aumentar o consumo de opções com menor quantidade de calorias se o objetivo é emagrecer. A recomendação continua correta, é claro. O que o cientista quer dizer é que dezenas de pesquisas estão demonstrando que vários alimentos ajudam a prevenir o ganho de peso não por causa da quantidade de calorias que apresentam – ou não somente por isso –, mas devido à ação de nutrientes específicos que impedem o depósito de gordura no organismo.

Essa nova linha de abordagem tem como embasamento a constatação de que os efeitos da comida no organismo e a nossa relação com os alimentos são muito mais complexos do que se imaginava. “Há, por exemplo, uma ligação importante entre o cérebro e o aparelho digestivo”, afirma o endocrinologista Walmir Coutinho, presidente eleito da Associação Internacional para o Estudo da Obesidade. De fato, descobriu-se a existência de uma espécie de segundo cérebro no corpo: cerca de 100 milhões de células nervosas, do mesmo tipo das que existem no cérebro, estão distribuídas pelas paredes do estômago, esôfago e intestino. E elas estão lá com um propósito claro: participar da regulação das sensações de fome e saciedade. Por meio delas são gerados sinais que vão do intestino ao cérebro avisando quando é hora de parar de comer.

Truques de alimentação para emagrecer rápido.


Veja alguns truques de alimentação para lançar mão na sua dieta e mandar os kilos embora mais rápido

Reportagem: Kátia Neves
alimentacao
Veja quais alimentos podem ajudar na conquista da cinturinha perfeita
Foto: SXC
Para secar barriguinha, nem sempre a dieta é suficiente. Existem truques e alimentos que podem ajudar a afinar as curvas. Veja as dicas e mande os kilos extras embora de uma vez por todas.
- Inicie o dia com um suco nutritivo de clorofilalaranja outangerinagengibre canela.
“Ele acelera o metabolismo e ajuda a regular o intestino”, explica o especialista em nutrição clínica e funcional Fábio Bicalho (DF).

- O estresse aumenta a liberação do cortisol, que é o responsável pelo acúmulo de gordura no abdome. “Invista em alimentos calmantes, como alface, aspargo e cereja”, alerta a nutricionista (RJ) Lucianna Jardim.
Inclua cereais integrais, como arroz integralaveia quinoa, no cardápio. Segundo a nutricionista (SP) Elaine de Pádua, a ingestão deles modula a resistência à insulina, que é responsável pelo aumento de gordura na barriga. Aumente o consumo de alimentos diuréticos: erva-doce, salsão, coentro, berinjela, limão, cebola, salsa, abacaxi, melancia, maracujá e chás.
- De acordo com a nutricionista da Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Bernardo Hochman (SP), Ângela Ferreira, o ômega-3 está no topo da lista quando pensamos em reduzir gordura, e ele pode ser encontrado em peixeslinhaça semente de chia.

Sobremesas que emagrecem - Morango

Sobremesas que emagrecem - Morango


Muitas pessoas vem procurando comidas e guloseimas deliciosas, mas que não ganha um peso em excesso, é possível. Pois existem alguns alimentos ideais para uma sobremesa sem você ganhar alguns quilinhos a mais, mais é necessário tomar alguns cuidados com o açúcar em excesso, prejudicando sua saúde.
Mas existem pessoas que são bastante rigorosas e acabam retirando qualquer tipo de sobremesa  de seu cardápio, não é o correto a fazer, você pode comer, mas com uma quantia mínima, moderadamente.
A baixo receitas deliciosas e que possuem uma quantia mínima de gordura e açúcar.

Guloseima de morango:
Ingredientes:
• 1 caixa de Gelatina Light de Morango
• 1 caixa de creme de leite
• 1 caixa de Chantilly
• 250 ml de água quente.
Modo de preparo:
Coloque a gelatina em um recipiente com a água quente, leve á geladeira durante 45 minutos no mínimo. Comece a preparar o Chantilly, conforme as instruções da embalagem ou da forma que você costuma utilizar acrescente o creme de leite, a gelatina e leve a batedeira e bata, até o creme ficar homogêneo, coloque em um recipiente com tampa e leve a geladeira durante 2 horas e 30 minutos. Faça uma decoração básica com morangos e sirva.

Sobremesa que emagrece.



Quem disse que dieta não combina com uma apetitosa sobremesa está muito enganado. A idéia de banir os doces da sua alimentação por completo, além de deixar a dieta monótona, pode fazer com que você a abandone e ainda resultar em ataques ferozes de compulsão por açúcar. Por isso, elas não devem ser abolidas do seu cardápio, apenas precisam ser consumidas com moderação.  Veja, abaixo, algumas receitas de sobremesas que, além de deliciosas, podem ser consumidas sem culpa.
Frozen Yogurt de Abacaxi
Ingredientes:
½ litro de suco de abacaxi
1 envelope de gelatina sem sabor incolor
2 xícaras de (chá) de iogurte desnatado
tiras de abacaxi para enfeitar
adoçante em pó a gosto
Modo de preparo:
coloque em uma tigela o suco de abacaxi, a gelatina dissolvida em água conforme a embalagem, o iogurte e o adoçante. Bata com um batedor manual, até a mistura ficar homogênea. Cubra a tigela com um filme plástico e leve ao congelador por 2 horas. Retire. Bata a mistura na batedeira por 5 minutos. Volte ao congelador por mais 2 horas. Retire, misture com uma colher e distribua em taças. Decore com tiras abacaxi.

Alimentos com efeito emagrecedor.


Confira os alimentos abaixo, selecionados a dedo pela nutróloga Tamara Mazaracki, que têm efeito emagrecedor:

Iogurte: excelente para reduzir gases, prisão de ventre e síndrome do intestino irritável, pois regulariza o funcionamento do aparelho digestivo. As bactérias saudáveis eliminam o excesso das nocivas, geradas por maus hábitos alimentares, o que ajuda a desinchar o intestino – e a barriga também. 

Pêra: suaviza a irritação do trato digestivo, agindo em colites, na síndrome do intestino irritável e reduzindo a produção excessiva de gases. Rica em pectina, estimula o intestino. Por ser rica em potássio, tem boa ação diurética. Ou seja, desincha. 

Maçã: reduz a acidez e os sintomas da síndrome do intestino irritável. Seu alto teor de pectina ajuda a acelerar o trânsito intestinal, evitando a formação de gases. Também tem ação diurética, prevenindo a retenção de líquidos. 

Melão, melancia, abacate, banana e manga: riquíssimos em potássio, têm excelente efeito diurético. 

Água-de-coco: fonte de potássio e diversos minerais, tem outros dois efeitos: é diurética e anti-irritante da mucosa do intestino. 

Pepino: possui ação diurética, ajudando a perder peso quando há retenção de líquidos, e auxilia na eliminação de toxinas. Fonte de diversos minerais como potássio, cálcio, manganês e enxofre. 

Aipo/salsão: ação diurética por seu alto teor de potássio. 

Agrião: estimula a digestão e reduz gases. Age também nos rins e bexiga, facilitando a eliminação de líquidos. Fonte de potássio, magnésio e cálcio. 

Cenoura: rica em potássio, tem efeito diurético e funciona como um remédio para a colite, para a síndrome do intestino irritável e para os gases. 

Limão: tem ação diurética, acelerando a eliminação de líquidos e toxinas pelos rins. 

Beterraba:  tem suave ação laxante e é rica em potássio. 

Ervas (alecrim, salsa, coentro, manjericão): têm ação diurética, ajudam a digestão e aliviam gases. 

Especiarias (como canela, pimenta e gengibre): melhoram a digestão e reduzem gases. 

Chás (erva-doce, hortelã, menta, camomila, verde, branco, cidreira): aceleram a digestão e reduzem a formação de gases. 

Azeite: diminui a retenção líquida, abaixa o índice glicêmico e diminui inflamações.