Digital clock

Alimentos que emagrecem são...



Os alimentos que emagrecem, são alimentos com poucas calorias ou que possuem algum ingrediente que pode ajudar a emagrecer.
Alguns exemplos de alimentos que emagrecem podem ser morangos, pepinos, aveia ou maçã, que além de possuírem poucas calorias, são ricos em substâncias que ajudam a reduzir o apetite, aumentam o metabolismo.
Outra característica de alguns alimentos que emagrecem é pertencerem ao grupo dos alimentos que contém tão poucas calorias que o organismo gasta mais calorias para digerir o alimento do que as calorias que o alimento fornece. A dieta das calorias negativas é uma forma de emagrecer usando esses alimentos.
Confira uma lista com os alguns dos alimentos que aceleram o metabolismo e possuem calorias negativas, para emagrecer ajudar a emagrecer mais rápido.

Alimentos que aceleram o metabolismo

  • água gelada: beber 8 copos ao dia pode queima aproximadamente 100 calorias;
  • pimenta vermelha e gengibre: aumentam o metabolismo em até 20%;
  • canela: tira a fome;
  • chá verde: favorece a queima de gorduras localizadas;
  • óleo de côco: sacia e pode acelerar o emagrecimento em até 7 vezes.
Estes alimentos são considerados termogênicos e ajudam a emagrecer, mas para atingir este objetivo devem ser consumidos em pouca quantidade, dia após dia.

Alimentos que possuem calorias negativas

  • morango, espargo, brócolis, cenoura, couve-flor, repolho, alface,
  • cebola, espinafre, nabo, pepino, pimenta vermelha, abobrinha,
  • chicória, aipo, berinjela, grapefruit, limão, goiaba, mamão papaia,
  • pêssego, melão muskmelon, morango, tangerina, melancia, tangerina,
  • framboesa, amora preta e ameixa.
Estes alimentos possuem poucas calorias e o organismo gasta mais calorias na sua digestão. E por isso são ótimos para quem deseja emagrecer, mas não devem ser consumidos de forma exclusiva e sim acompanhada de uma regime alimentar variado.
Além de consumir os alimentos que emagrecem, para um emagrecimento saudável é importante manter o metabolismo acelerado fazendo de 5 a 6 refeições por dia, em pequena quantidade, comendo devagar.
A prática regular de exercícios físicos são de extrema importância para se conseguir emagrecer e manter o peso sob controle.

Alimentos Bons Para o Cérebro


Ovo, um dos alimentos responsáveis pelo bom funcionamento cerebral.

Ao contrário do que muitos pensavam, os cientistas descobriram nos anos de 1990, que os neurônios se reproduzem no decurso da vida. O processo de nascimento das novas células nervosas, que é chamado de neurogênese, pode ser estimulado através de alimentos, garantindo-lhe funções nobres, como a capacidade de memorizar e raciocinar.

A novidade é que a alimentação enriquecida com colina, nutriente presente na gema do ovo contribui para a neurogênese; já a clara contém a glutamina, essencial para constituir o DNA, ou seja, o material genético de novas células na massa cinzenta. Outra substância boa para a atividade cerebral é o ômega 3, ácido graxo que favorece a neurogênese e protege os já existentes. O nutriente pode ser encontrado em peixes, como salmão, sardinha, atum.

É importante também equilibrar a dieta com proteínas, gordura e carboidrato, uma vez que o cérebro gasta grande quantidade de glicose, que pode ser encontrada em pães, massas e arroz. Frutas e vegetais amarelos também são indicados, pois são fontes de betacaroteno, antioxidante eficaz contra o envelhecimento celular. Outras fontes de antioxidantes são: frutas vermelhas e castanhas, como nozes, amendoim, avelã.

As carnes, os grãos integrais, o leite e seus derivados são fontes de vitamina do complexo B, que auxilia a regulação da transmissão entre os neurônios. 

 
Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola

Soja reduz colesterol.


Soja

A soja pertence à família leguminosa, como o feijão, a lentilha e a ervilha e é um grão rico em proteínas, cultivado como alimento tanto para humanos quanto para animais. Um dos principais produtos agrícolas do Oriente, seu cultivo foi desenvolvido pelos chineses há mais de 5 mil anos. O maior produtor de soja no mundo são os Estados Unidos, seguidos do Brasil, Argentina, China, Índia e Paraguai.

Atualmente, 80% de toda a soja cultivada para o mercado comercial é transgênica. A soja chegou ao Ocidente no século XVIII. Ao Brasil, no fim do século XIX.

Além da proteína, a soja é rica em lipídeos, fibras, vitaminas, minerais e fito-hormônios conhecidos como isoflavonas ou isoflavanoides. Estudos revelam que essas substâncias agem como um elemento antioxidante reduzindo as taxas de colesterol ruim (LDL) no sangue e equilibram a quantidade do hormônio estrógeno no organismo feminino, amenizando assim os sintomas da menopausa (benefícios que estão sendo ainda estudados). A proteína da soja é muito semelhante às proteínas da carne, porém não contém gordura saturada e colesterol.

O óleo de soja é muito utilizado no preparo de alimentos. A soja é usada na fabricação de rações animais, sabão, farinha, leite, cosméticos, resinas, tintas, solventes e biodiesel.

A farinha de soja é utilizada na indústria alimentícia para enriquecer pão, biscoito e macarrão. O leite de soja pode ser encontrado na forma líquida ou em pó e geralmente é aromatizado. O tofu, queijo de soja, contém 135 calorias em 100 g e aproximadamente 12,5g de proteína. Outros derivados da soja são o molho e a pasta de soja, utilizados como temperos na culinária oriental.
Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola

A importância do cuidado com a alimentação


Pirâmide alimentar - Apresenta cada tipo de alimento que deve ser ingerido diariamente

Quem é que não gosta de comer? Comer é bom demais mesmo, mas em época de consumo de produtos industrializados em excesso e de fast food, o grau de obesidade da população brasileira vem aumentando bastante. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2009, apresentou resultados de pesquisa com a população brasileira, afirmando que a obesidade está aumentando não apenas na população adulta, como também em crianças e adolescentes. Por isso, o cuidado com a alimentação aliado à prática regular de atividade física é fundamental para a manutenção de sua saúde. Nesse sentido, a proposta desse texto é propor uma reflexão sobre quantos e quais alimentos você costuma ingerir, e fazer com que você procure se adequar a uma alimentação mais equilibrada.

Os alimentos são responsáveis por fornecerem ao nosso corpo os nutrientes a seguir enumerados:

1) Carboidratos: são encontrados em vegetais, frutas, pães, cereais, arroz, massas e leite. Entre 50% e 65% da energia necessária ao corpo é fornecida por eles. Deve-se lembrar que eles são fundamentais para um bom funcionamento das funções cerebrais;

2) Proteínas: são necessárias para o crescimento e para o reparo das células deterioradas, além de auxiliar na digestão e na produção dos anticorpos. São encontradas nas carnes, leite, ovos e frutas secas. Fornecem entre 10% a 15% da energia necessária ao corpo;

3) Lipídeos: são as gorduras responsáveis por fornecer ao corpo uma grande concentração de energia alimentar. Neles encontramos as vitaminas A, D, E e K, além de auxiliarem na reestruturação dos tecidos. É recomendado que não forneçam mais de 30% de energia ao corpo.

O panorama dessa estrutura alimentar pode ser visualizado por meio da pirâmide alimentar. Ela apresenta de um modo bastante visual, as porções de cada tipo de alimento que devem ser ingeridas diariamente. Na base da pirâmide localizam-se os alimentos energéticos (carboidratos), contando entre 6 e 11 porções a serem consumidas; alimentos reguladores como as frutas, legumes e verduras, que fornecem vitaminas, minerais e fibras, e devem somar entre 5 a 9 porções; os alimentos construtores, que são aqueles ricos em proteínas, e as porções diárias devem ser 2 de leite e 2 de carne. 

Os energéticos extras aparecem no topo da pirâmide, são os açúcares e os doces, que devem ser consumidos com bastante moderação. As gorduras são necessárias em pequena quantidade, portanto, também é preciso ficar alerta com o consumo excessivo. Outro fator importante é tomar consciência da quantidade de calorias diárias aproximadas que devem ser ingeridas por dia: para meninos são indicadas 2800kcal e para meninas 2200 kcal. Por isso, verificar a composição nutricional de alimentos industrializados, antes de consumi-los, é sempre interessante. Dê preferência àqueles com menor quantidade calórica, menor quantidade de gordura e maior quantidade de fibras.

E como colocar tudo isso em prática? Elaborar um pequeno diário relacionando os alimentos que você consumiu, e analisá-lo comparando com a pirâmide alimentar é um ótimo meio para que você se conscientize do quanto a sua alimentação está equilibrada. A identificação e consciência da sua dieta diária em relação à dieta ideal, dada pela pirâmide, permite que você melhore a sua alimentação e, consequentemente, a sua qualidade de vida.

Por Paula Rondinelli
Colaboradora Brasil Escola
Graduada em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Mestre em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Doutoranda em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo - USP

Alimentação Funcional


A soja é um alimento funcional.
 
Os alimentos funcionais são aqueles que exercem funções metabólicas ou fisiológicas no organismo atuando no crescimento, desenvolvimento, nutrição, proteção, entre outros. Aplica-se aos alimentos funcionais o papel de proteger o organismo contra doenças crônico-degenerativas além de problemas como celulite, acnes, envelhecimento precoce e outros.

Algumas pessoas confundem o termo proteção dos alimentos funcionais, mas é importante que se saiba que os alimentos atuam de forma a fortalecer o organismo e reduzir as chances de desenvolvimento de doenças, ou seja, se alguma doença porventura surgir, os alimentos funcionais irão agir somente para fortalecer o organismo e não para curá-lo.

Para utilizar alimentos funcionais na alimentação diária e ainda contar com os benefícios que estes promovem, deve-se atentar para a quantidade a ser ingerida dos componentes funcionais, pois em pequenas quantidades não trarão de fato os benefícios que possivelmente trariam se ingeridos de maneira adequada.

São alimentos funcionais: soja, trigo, arroz, milho, tomate, alho, azeite, chá-verde, uva vermelha, castanha-do-pará, peixes, gergelim, linhaça, lactobacilos, mel e outros. São considerados funcionais os alimentos pré-bióticos, probióticos e simbióticos que beneficiam o funcionamento do intestino.

Apesar de alguns alimentos serem ricos em calorias é importante consumir carboidratos, lipídios e todos os outros nutrientes essenciais para que o organismo não sofra pela falta de algum componente de que precisa para funcionar bem.
 
Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola

Os benefícios dos cereais integrais


Cereais integrais afastam câncer e diabetes

Uma alimentação adequada é essencial para uma vida saudável e de qualidade. Tudo o que ingerimos se reflete em nosso organismo, gerando malefícios ou benefícios a curto e longo prazos. Geralmente, o que ocorre é que ou as pessoas não se alimentam com cereais integrais ou a quantidade ingerida é insuficiente. Isso se dá principalmente pela aceleração do ritmo diário de vida, quando as comidas rápidas se tornam a melhor opção pela praticidade e comodidade.

Os cereais integrais são grãos inteiros, fontes de fibras, nutrientes, minerais (como zinco, fósforo, magnésio), vitaminas e energia (por meio dos carboidratos e proteínas presentes). Sua camada externa é utilizada para a produção de farelo, que contém fibras e vitaminas B e E, além de proteínas. Sua parte intermediária é rica em carboidratos e proteínas, enquanto a parte mais interna possui nutrientes muito importantes para a saúde.

No século XIX, os cereais eram indicados por médicos na prevenção da constipação. Nos últimos 100 anos a dieta das pessoas mudou, passando de rica em cereais à composta por cereais refinados que não têm o mesmo valor nutricional dos integrais, por não conterem a casca e o gérmen (parte germinativa).

Alimentar-se com cereais integrais beneficia significantemente a saúde, auxilia no combate da prisão de ventre e diminui a incidência de doenças como diabetes (por regular os níveis de insulina) e câncer. Contribui para o controle de peso, pois quem come cereais se sente mais saciado, controla o colesterol, beneficiando o sistema circulatório; mantém a saúde do coração, dos ossos, do sistema nervoso e imunológico e do corpo em geral. Todos esses benefícios devem estar aliados a uma dieta de baixo teor de gordura e a um estilo de vida saudável, com a prática de atividade física, eliminação do tabagismo, estresse e ansiedade.

Alguns exemplos de cereais integrais são aveia, trigo, centeio, cevada, arroz e milho. Para muitas pessoas, nem sempre são bem-vindos no cardápio, mas em prol da saúde e bem-estar atual e futuro é importante incluí-los na dieta. Em pesquisas, foi verificado que o centeio auxilia na memória e mineralização dos ossos, enquanto o trigo ajuda na imunidade e a aveia controla o colesterol. O arroz contribui no aproveitamento de energia, o milho beneficia os olhos e a cevada previne osteoporose.

Para manter a alimentação rica em cereais integrais confira algumas dicas:

- ingira pão integral ao invés de pão branco;
- prefira as massas integrais;
- experimente os produtos integrais e, caso não goste, inicie ingerindo pequenas quantidades até se acostumar;
- desenvolva receitas acrescentando aos poucos os cereais integrais em seu cardápio;
- no café da manhã, alimente-se de aveia, pães integrais, biscoitos e bolos feitos à base de farinhas integrais;
- nos lanches, alimente-se de barra de cereais, granola e biscoitos integrais;
- nas refeições, como almoço e jantar, arroz integral, grãos de trigo, massas e tortas feitas de cereais integrais são uma boa recomendação.
Assim, o hábito de pelo menos três porções diárias com cereais integrais é inserido no cotidiano, beneficiando a saúde.

Por Giorgia Lay-Ang
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Lista de Alimentos que emagrecem.

É verdade, você pode comer e emagrecer para isso basta saber quais os alimentos que emagrecem e ajudam a perder peso. Além de a ajudar a emagrecer de uma forma saudável, estes alimentos que emagrecem são também bastante benéficos para a sua saúde. Estes alimentos ajudam a acelerar o metabolismo e a queimar calorias.
Ficam aqui alguns exemplos de alimentos que emagrecem e que têm a capacidade de baixar ou aumentar a temperatura do nosso corpo, de forma que o corpo vai gastar calorias para retomar a temperatura normal.


Lista de Alimentos que Emagrecem de Verdade

Água gelada
Beber 8 copos de água gelada por dia queima cerca de 200 calorias.
Pimenta  vermelha
Acelera o metabolismo, aumenta a circulação, aumenta a temperatura do corpo e melhora a digestão.
Gengibre
Pode ser consumido cru, refogado ou em forma de chá. Pode ainda ingerir o gengibre em batidos misturados com aipo, laranja, maçã ou qualquer outra fruta.
Ómega 3
Pode encontrar ómega 3  em produtos como o salmão e sardinha e na semente de linhaça. O ómega 3 é também um excelente anti-inflamatório.
Chá verde
O chã verde é um optimo produto para quem deseja perder peso, reduz a absorção de açúcar no sangue, acelera o trânsito intestinal e aumenta o metabolismo, ajudando a queimar de gorduras.
Feijão
É rico em proteínas livres de gordura saturada. Ajuda a ter um bom colestrol!
Canela
O consumo de algumas pitadas de canela durante o dia. Isso ajuda a controlar os níveis de insulina no sangue, ou seja, afasta a fome.
Maçã
Mais de 80% de sua composição são água, ou seja, seu valor calórico é muito baixo. Uma maça tem em média 60 calorias, sendo rica em fibras, vitaminas e minerais e pobre em gorduras. É importante ser ingerida com a casca, que contém muitos nutrientes. Se não gostar que tal fazer um chá com a casca da maça?
Arroz integral
Este tipo de arroz é mais rico em minerais que são perdidos quando o arroz é polido, o tipo integral é rico em fibras que acaba atuando junto à aveia para melhor digestão.
Granola
Os cereais integrais mantêm a taxa de açúcar no sangue equilibrada, prevenindo a diabetes. Regula o intestino e previne doenças cardíacas e alguns tipos de cancro.
Vinagre
O vinagre sacia porque contém ácido acético que diminui a velocidade com que a comida passa do estômago para o intestino. Por isso, você tem aquela sensação de “estar cheia” por mais tempo.
"Esta lista de alimentos que emagrecem é apenas informativa e no caso de pretender iniciar uma dieta para perder peso deve sempre consultar o seu médico".

Alimentos Orgânicos reduzem riscos de doenças.


Horta orgânica.

Alimentos orgânicos, além de serem cultivados sem o uso de agrotóxicos ou outros produtos sintéticos, são resultantes de um sistema que busca manejar os recursos naturais de forma harmoniosa, garantindo a saúde não só de quem os consome, mas também de todo o ambiente em questão.

Este tem como precursor o pesquisador inglês Sir. Albert Howard; que frisava que a fertilidade do solo é o fator essencial para a eliminação das doenças em plantas e animais. Assim, tal modalidade agrícola considera a interdependência entre solo, planta, ambiente e homem; reconhecendo o primeiro como um organismo vivo.

Ao contrário da agricultura convencional, a agricultura orgânica pratica a rotação de culturas; com manejo do solo baseado na utilização de matéria tanto vegetal quanto animal para a adubação, permitindo a manutenção de seus organismos e aporte de nutrientes. Assim, húmus de minhoca, esterco curtido, adubação com leguminosas, dentre outras técnicas, são empregadas visando este objetivo. A aplicação de minerais naturais e controle biológico de pragas são outros aspectos relacionados a essa prática, que exclui completamente a utilização de transgênicos.

Sistemas orgânicos são, também, contrários à aplicação de monoculturas, buscando respeitar a sazonalidade dos alimentos. Além disso, incentivam o trabalho de pequenos produtores, considerando aspectos relacionados à tradição, cultura e mecanismos de organização social local; e fornecendo condições trabalhistas, econômicas e sociais justas.


Mas... o que garante que o alimento que adquiri é, realmente, orgânico?

A Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica pontua que “para sua comercialização, os produtos orgânicos deverão ser certificados por organismo reconhecido oficialmente” sendo que, “no caso da comercialização direta aos consumidores, por parte dos agricultores familiares, inseridos em processos próprios de organização e controle social, previamente cadastrados junto ao órgão fiscalizador, a certificação será facultativa, uma vez assegurada aos consumidores e ao órgão fiscalizador a rastreabilidade do produto e o livre acesso aos locais de produção ou processamento.”


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

A importância do cuidado com a alimentação


Pirâmide alimentar - Apresenta cada tipo de alimento que deve ser ingerido diariamente

Quem é que não gosta de comer? Comer é bom demais mesmo, mas em época de consumo de produtos industrializados em excesso e de fast food, o grau de obesidade da população brasileira vem aumentando bastante. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2009, apresentou resultados de pesquisa com a população brasileira, afirmando que a obesidade está aumentando não apenas na população adulta, como também em crianças e adolescentes. Por isso, o cuidado com a alimentação aliado à prática regular de atividade física é fundamental para a manutenção de sua saúde. Nesse sentido, a proposta desse texto é propor uma reflexão sobre quantos e quais alimentos você costuma ingerir, e fazer com que você procure se adequar a uma alimentação mais equilibrada.


Os alimentos são responsáveis por fornecerem ao nosso corpo os nutrientes a seguir enumerados:

1) Carboidratos: são encontrados em vegetais, frutas, pães, cereais, arroz, massas e leite. Entre 50% e 65% da energia necessária ao corpo é fornecida por eles. Deve-se lembrar que eles são fundamentais para um bom funcionamento das funções cerebrais;
2) Proteínas: são necessárias para o crescimento e para o reparo das células deterioradas, além de auxiliar na digestão e na produção dos anticorpos. São encontradas nas carnes, leite, ovos e frutas secas. Fornecem entre 10% a 15% da energia necessária ao corpo;
3) Lipídeos: são as gorduras responsáveis por fornecer ao corpo uma grande concentração de energia alimentar. Neles encontramos as vitaminas A, D, E e K, além de auxiliarem na reestruturação dos tecidos. É recomendado que não forneçam mais de 30% de energia ao corpo.

O panorama dessa estrutura alimentar pode ser visualizado por meio da pirâmide alimentar. Ela apresenta de um modo bastante visual, as porções de cada tipo de alimento que devem ser ingeridas diariamente. Na base da pirâmide localizam-se os alimentos energéticos (carboidratos), contando entre 6 e 11 porções a serem consumidas; alimentos reguladores como as frutas, legumes e verduras, que fornecem vitaminas, minerais e fibras, e devem somar entre 5 a 9 porções; os alimentos construtores, que são aqueles ricos em proteínas, e as porções diárias devem ser 2 de leite e 2 de carne. 

Os energéticos extras aparecem no topo da pirâmide, são os açúcares e os doces, que devem ser consumidos com bastante moderação. As gorduras são necessárias em pequena quantidade, portanto, também é preciso ficar alerta com o consumo excessivo. Outro fator importante é tomar consciência da quantidade de calorias diárias aproximadas que devem ser ingeridas por dia: para meninos são indicadas 2800kcal e para meninas 2200 kcal. Por isso, verificar a composição nutricional de alimentos industrializados, antes de consumi-los, é sempre interessante. Dê preferência àqueles com menor quantidade calórica, menor quantidade de gordura e maior quantidade de fibras.

E como colocar tudo isso em prática? Elaborar um pequeno diário relacionando os alimentos que você consumiu, e analisá-lo comparando com a pirâmide alimentar é um ótimo meio para que você se conscientize do quanto a sua alimentação está equilibrada. A identificação e consciência da sua dieta diária em relação à dieta ideal, dada pela pirâmide, permite que você melhore a sua alimentação e, consequentemente, a sua qualidade de vida.


Por Paula Rondinelli
Colaboradora Brasil Escola
Graduada em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Mestre em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP
Doutoranda em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo - USP

Almeirão possui cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A, do complexo B


Almeirão

Originário da Europa Mediterrânea, o almeirão é uma hortaliça do tipo folha, caracterizada pelo seu sabor amargo. A hortaliça é pertencente à família Asterácea e a mesma da alface, chicória, dente-de-leão e serralha. Por esse motivo, o almeirão é muito parecido com a chicória, diferenciando-se apenas por possuir folhas mais alongadas, estreitas e recobertas por pelos.

O almeirão possui um baixo teor calórico, da mesma forma que todos os folhosos. Além disso, possui cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A, do complexo B (B2 e Niacina) e vitamina C em menor quantidade.

A hortaliça é consumida no preparo de saladas e pratos quentes, podendo substituir a couve, o espinafre e a chicória. Deve-se lavar e escorrer bem as folhas do almeirão antes de consumi-las. Mesmo com todo seu valor nutritivo, o almeirão ainda não é muito comum na mesa do brasileiro.

Sopa que emagrece por revista Boa Forma.


Por que sopa?


É fato: sopa no jantar é uma fórmula de sucesso para você emagrecer no inverno. À noite, o organismo reduz o ritmo das funções e, portanto, não precisa de tanta energia. Além disso, é um prato que  espanta a fome rapidinho. "Consumida quentinha, ela aquece o corpo assim que cai no estômago, antecipando as mensagens de saciedade enviadas ao centro da fome", explica a nutricionista Maria Cecília Corsi, da Clínica Essencial Light, em São Paulo. Mas, para virar amiga da dieta, tem que ser leve e não pode vir acompanhada de pão, torrada, queijo ralado e outros ingredientes que pesam na balança.


A nossa sugestão é que você incremente com especiarias, como gengibre, pimenta e canela, que ressaltam o sabor sem acrescentar calorias. E o melhor vem agora: por terem ação termogênica aceleram o metabolismo), dão à sopa o poder de queimar as gordurinhas! Porém, a receita completa sempre deve combinar proteína magra (frango, quinua), carboidrato (macarrão e arroz integrais) e fibras (abóbora, rúcula). Aliás, quem não gosta de vegetais pode aproveitar a oportunidade para camufar no caldo essa família de alimentos, importantes para manter o bom funcionamento do intestino. Procure acrescentá-los à sopa em pedaços para estimular a mastigação - outro mecanismo que faz você se sentir feliz com menos comida.



Ainda não está convencida? Aqui vão mais algumas razões para você virar fã do prato: a sopa mantém o organismo hidratado, pois tem bastante água, e é fácil de variar o sabor. Nossa sugestão é que você prepare uma boa quantidade de caldo básico (veja a receita a abaixo), congele em porções individuais e crie uma sopa diferente a cada dia. Para não correr o risco de torná-la muito calórica, fizemos uma lista de alimentos que podem ser combinados do jeito que você preferir. Não tem erro: sua sopa vai ficar gostosa, completa, pouco calórica e com o poder de queimar calorias. É o máximo!


Caldo básico

Ingredientes

• 1 peito de frango grande (800 g) ou carne vermelha magra (coxão mole, patinho ou alcatra)
• 2 1/2 litros de água
• 2 cebolas cortadas ao meio
• 2 cenouras grandes em pedaços
• 1 tomate com pele e semente
• 2 talos de salsão
• 1 folha de louro
• 2 hastes de salsinha
• 3 grãos de pimenta-do-reino
• 1 col. (café) de sal

Modo de preparo

Corte o frango em cubos pequenos para que solte todos os nutrientes durante o cozimento. Coloque na panela de pressão com a água, a cebola, a cenoura, o tomate, o salsão, o louro, a salsinha, a pimenta e o sal. Tampe a panela e leve ao fogo alto. Quando a válvula começar a apitar, cozinhe por mais 10 minutos. Desligue o fogo e deixe esfriar com a panela tampada. Retire o frango e guarde. Passe o caldo por uma peneira fina pressionando os legumes cozidos com uma concha. Distribua o caldo coado em cinco potes higienizados (cerca de 300 ml cada um) e congele. Use uma porção para
preparar uma sopa diferente a cada dia. Deixe para ajustar o sal na finalização da sopa.
Tempo de preparo: 20 minutos (+ o tempo de cozimento)
Rende: 5 porções  (300 ml cada uma)
Calorias: 35
Sugestão: se você gosta da sopa grossinha, bata os legumes com o caldo.

Os probióticos


Lactobacilos presentes em iogurtes

Os probióticos são micro-organismos vivos que, ao serem ingeridos, beneficiam o organismo equilibrando a flora intestinal, o colesterol, a diarreia (em frequência e duração), reduzindo a probabilidade de originar um câncer, inibindo a ação das bactérias intestinais prejudiciais ao bom funcionamento do organismo, ativando a imunidade humoral e celular, aumentando a digestão da lactose, reduzindo a insônia e prevenindo a constipação e o estresse.

Os principais micro-organismos utilizados são: lactobacilos acidófilos, casei, bulgárico, lactis, plantarum, estreptococo termófilo, enterococus faecalis, faecium, bifiobactéria difibus, longus e infantis.

Para que os micro-organismos sejam ingeridos como probióticos devem ser habitantes normais do intestino, apresentar rápida reprodução e resistência para se manter até o prazo de validade. Os probióticos atuam no organismo na produção de compostos antimicrobianos e antibacterianos que auxiliam as bactérias benéficas a permanecerem no organismo e ainda diminuem a grande quantidade de micro-organismos maléficos. 

Essa produção de compostos é feita no intestino grosso, onde as bactérias, que somam aproximadamente 100 trilhões, desempenham sua função no processo digestivo, de absorção e de sintetização de vitaminas.

É importante que a ingestão de alimentos que contêm probióticos tenha quantidade significativa desses micro-organismos, pois necessita atravessar todos os órgãos gastrointestinais em número considerável para desempenhar suas funções. Os probióticos são encontrados em iogurtes, leites fermentados, em pó ou em cápsulas.
 
Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola

Alcachofra


Alcachofra

 A alcachofra, cujo nome botânico é Cynara scolymus L., é uma planta com folhas espinhosas, flores púrpuras e que pode atingir até 3 metros de altura. As grandes brácteas que envolvem as flores da alcachofra são as partes comestíveis. Originária do Mediterrâneo, no sul da Europa e norte da África, a planta é popularmente classificada como hortaliça. A alcachofra foi trazida para o Brasil pelos imigrantes europeus.

A planta é natural de climas temperados, rebrotando sempre após o inverno. As partes comestíveis, chamadas de escamas ou pétalas, apresentam uma base carnosa. As variedades da hortaliça são: Violeta de Proença, Roxa de São Roque, Verde Lion e Verde Grande da Bretanha. Em razão de ser uma planta típica de climas mais amenos, a alcachofra pode até se desenvolver em climas quentes, porém não forma os botões florais, ou seja, as partes comestíveis.

A hortaliça possui boas quantidades de vitamina A, C e sais minerais, como o ferro, o cálcio e o fósforo. A alcachofra também possui elementos eficientes que regulam o fígado, além de ser indicada nas dietas, em virtude de seu baixo teor calórico. Em virtude da quantidade de vitamina C presente na hortaliça, ela é indicada no combate a anemias e ao raquitismo.

A alcachofra é utilizada na culinária, no preparo de saladas. É aconselhável consumir a hortaliça rapidamente após a compra, uma vez que a mesma começa a perder suas qualidades após certo tempo. Os maiores produtores mundiais de alcachofra são a França, Itália e Espanha. No Brasil, os maiores estão concentrados no estado de São Paulo.
 

Farofa Saudável.

Gosta de farofa, mas não pode usar farinha de mandioca em suas receitas?
Não se preocupe!
Com essa dica de substituição seus pratos ficarão muito mais saudáveis, saborosos e emagrecedores.
Ingredientes
  • 1 pote de Granola de Sementes e Fibras (www.emagrecercomendo.com.br/site/produtos)
  • 1 ou 2 colheres de manteiga
  • Cebola, alho, tempero verde, para temperar e enfeitar
  • Azeitonas pretas ou verdes
  • Proteína de sua preferência (carne seca, lombo, peito de peru).

Modo de fazer
Derreta a manteiga em fogo baixo e doure os temperos, refogue as proteínas (que já devem estar cozidas e dessalgadas) e vá acrescentando aos poucos a granola de sementes e fibras até obter o ponto desejado.
Sirva quente
Dicas extras
Você poderá triturar mais a granola antes de transformá-la em farofa, assim ficará mais semelhante a uma farofa tradicional.
Gosta de arroz carreteiro? Siga a mesma dica acima, substituindo em sua receita favorita, o arroz pela granola de sementes e fibras bem moída.

Sopas para não engordar no frio

Sopa de legumes
Getty Images
Sopa de legumes: esquenta o corpo sem aumentar o peso
Em uma panela aqueça o azeite, refogue a cebola e em seguida acrescente o alho. Assim que estiver dourado acrescente as rodelas de cenoura, refogue nos temperos e adicione a água e o sal. Deixe ferver, acrescente a vagem e por último as rodelas de abobrinha. Deixe cozinhar até que os legumes estejam macios, mas sem desmanchar. No liquidificador bata metade da quantidade de legumes cozidos com a água do cozimento. Volte para a panela e deixe ferver. Para o pesto de ervas misture o azeite e as ervas e adicione à sopa antes de servir.
Sopa de feijão
Em um recipiente deixe o feijão de molho em 1 litro de água quente por 30 minutos. Despeje o feijão com a água em uma panela de pressão, acrescente mais 1 litro de água quente e deixe cozinhar por aproximadamente 35 minutos ou até que esteja bem cozido. No liquidificador bata metade dos grãos, volte para a panela e reserve. 
Em outra panela, aqueça o azeite, doure a cebola e o alho adicione a carne, e deixe cozinhar por aproximadamente 15 minutos. Em seguida cozinhe os legumes até ficarem macios. Acrescente a carne com os legumes cozidos ao feijão, adicione o sal, misture e deixe ferver. Finalize com salsa picada.

Soja


Soja

A soja pertence à família leguminosa, como o feijão, a lentilha e a ervilha e é um grão rico em proteínas, cultivado como alimento tanto para humanos quanto para animais. Um dos principais produtos agrícolas do Oriente, seu cultivo foi desenvolvido pelos chineses há mais de 5 mil anos. O maior produtor de soja no mundo são os Estados Unidos, seguidos do Brasil, Argentina, China, Índia e Paraguai.

Atualmente, 80% de toda a soja cultivada para o mercado comercial é transgênica. A soja chegou ao Ocidente no século XVIII. Ao Brasil, no fim do século XIX.

Além da proteína, a soja é rica em lipídeos, fibras, vitaminas, minerais e fito-hormônios conhecidos como isoflavonas ou isoflavanoides. Estudos revelam que essas substâncias agem como um elemento antioxidante reduzindo as taxas de colesterol ruim (LDL) no sangue e equilibram a quantidade do hormônio estrógeno no organismo feminino, amenizando assim os sintomas da menopausa (benefícios que estão sendo ainda estudados). A proteína da soja é muito semelhante às proteínas da carne, porém não contém gordura saturada e colesterol.

O óleo de soja é muito utilizado no preparo de alimentos. A soja é usada na fabricação de rações animais, sabão, farinha, leite, cosméticos, resinas, tintas, solventes e biodiesel.

A farinha de soja é utilizada na indústria alimentícia para enriquecer pão, biscoito e macarrão. O leite de soja pode ser encontrado na forma líquida ou em pó e geralmente é aromatizado. O tofu, queijo de soja, contém 135 calorias em 100 g e aproximadamente 12,5 g de proteína. Outros derivados da soja são o molho e a pasta de soja, utilizados como temperos na culinária oriental. 

 
Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola

Dicas de Alimentação Para o Inverno.


Durante o inverno é comum o desejo por alguns alimentos, como o chocolate quente.

Nessa época é comum os pratos se tornarem mais calóricos. A temperatura cai e, com isso, muitas vezes bate aquela vontade de comer uma fondue ou tomar um chocolate quente. A explicação disso é que no inverno o gasto energético é maior e o organismo se esforça mais para manter a temperatura corporal.

Apesar de a fome aumentar nesse período (como reação do corpo buscando mais energia, usada para controlar a temperatura), é bom não abusar. Especialistas apontam que os excessos podem provocar doenças como hipertensão, obesidade e aumentar as chances de problemas cardiovasculares. Por isso é interessante reavaliar a alimentação na estação mais fria do ano.


Seguem abaixo algumas dicas para enganar a fome ou deixar os pratos menos calóricos:

• Fondue: use leite desnatado e queijos magros e substitua o pão por legumes;
• Chocolate quente: use leite desnatado e achocolatado diet;
• Queijos: prefira os brancos e lights;
• Chás: ótimas opções para aumentar a temperatura do corpo;
• Sopas: dê preferência àquelas preparadas com legumes batidos, para engrossá-la adicione farelo de trigo;
• Abuse das frutas típicas da estação, como laranja e maracujá. 

 
Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola